A ditadura do economês.

Há uma gramática hegemónica que enforma a retórica dos fazedores de opinião na comunicação social  mas que acaba por entrar no senso comum: Refiro-me ao economês. O problema não está no facto de existir um dialecto inócuo que vai marcando o ritmo e o tom das conversas do cidadão comum. O problema é outro: Sem a compreensão dos problemas não é possível encontrar soluções.

(agradeço ao JPaulo Videira a referência ao seguinte vídeo:)

Anúncios

One thought on “A ditadura do economês.

  1. […] meio desta verdadeira revolução capitalista selvagem, em que os professores vão assistindo à destruição sistemática da escola pública e do ensino […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: