Não me f**** o juízo.

foder-o-juizo2Nos últimos tempos tenho sentido que querem foder-me o juízo. É evidente que me fodem o juízo desde que tomei consciência dele, por boas e por más razões. E para que não se pense que o uso do vernáculo é irreflectido, li de fio a pavio o livro de Collin McGinn “Não me f**** o juízo” para perceber o sentido da metáfora e saber até que ponto me andam a foder realmente o juízo e como posso evitar a delusão (1).

O conceito “foder o juízo” é dual. Há alturas em que uma conversa, um livro, um filme, me fodem o juízo porque, de facto, o resultado final é positivo e há que aceitar de bom grado o pré juízo.

Agora o que me fode realmente o juízo é ser alvo premeditado de manipulação, de “lavagem ao cérebro” ou de logro.

Isso não!

 ————–

(1) – A delusão é um estado mental em que a compreensão da realidade pelo indivíduo está comprometida.

4 thoughts on “Não me f**** o juízo.

  1. continuando a tua nota (1)

    “um bom exemplo de delusão é o fanatismo político que pode alterar totalmente a compreensão da realidade.”

    … e o “nosso 1º” é totalmente “deludido” e assessorado por montes de gente com o mesmo problema.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s