Arquivos mensais: Agosto 2009

:)

bf

Um ME regulador… do quê, exactamente?

“Suspenderemos, porém, o actual modelo de avaliação dos professores, substituindo-o por outro que, tendo em conta os estudos já efectuados por organizações internacionais, garanta que os avaliadores sejam reconhecidos pelas suas capacidades científicas e pedagógicas, com classificações diferenciadas tendo por critério o mérito, e dispensando burocracias e formalismos inúteis no processo de avaliação”, afirma o documento.

Outro regime que será sujeito a alteração se o PSD vier a ser governo é o Estatuto da Carreira Docente, que será revisto “sobretudo no respeitante ao regime de progressão na carreira, corrigindo as injustiças do modelo vigente e abolindo a divisão, nos termos actuais, na carreira docente”.

A prudência não me permite grandes euforias e até me parece bem que os dois dossiers mais controversos no sector da educação sejam resolvidos já – o estatuto do aluno e o ECD (passando, obviamente, pela ADD).

Hummm… mas fiquei com a pulga atrás da orelha quando ouvi MFL dizer que o ME passará a assumir apenas uma função reguladora. Isso significa precisamente o quê? É que se perguntarem à excelsa ministra da educação ela dirá que a função do SEU ME é… regular!

Grão a grão…

bastaDois eleitores assumidamente PS ouviram as minhas razões para não votar PS. São familiares muito próximos e, naturalmente, sensíveis à minha condição socioprofissional. Houve um argumento de peso que dificultou a minha tarefa: a ausência de credibilidade nas alternativas de governação. Houve um argumento de peso que facilitou a minha tarefa: o princípio subjacente ao rompimento unilateral de um contrato [que podia designar de roubo já que não encontro outra palavra para descrever o logro que foi a divisão da carreira] e a correspondente perda salarial.

A luta dos professores começa e acaba no espaço privado.

Vendedores de banha da cobra

O PGuinote anda entretido [é pena que a comunicação social não faça eco de um serviço público meritório] a desmascarar alguns truques de vendedores de banha da cobra.

O PS não podia ter escolhido melhor.

(via abnóxio)
carolina patrocínio
Correio da Manhã, 24.08.2009

Perguntas metódicas

?José Sócrates e a sua ministra da educação estão, ou não, em condições de provar que a pretensa melhoria de resultados escolares traduzem uma melhoria das aprendizagens dos alunos?

Qual foi o estudo, e quem o realizou, que valida o entusiasmo dos dois políticos?

[imagem daqui]

O trunfo da ministra.

Mas será a medida anunciada [a melhoria dos resultados escolares dos alunos] motivada pela baixa de exigência das escolas?

Eu espero que os professores não tenham diminuído a exigência porque isso pode virar-se contra eles próprios. Não acredito que os professores e as escolas tenham diminuído a exigência. (Maria de Lurdes Rodrigues)

jokerNote-se como a exigência associada aos resultados escolares dos alunos é, para a ministra da educação, um conceito unilateral. Se o jornalista não se limitasse a servir apenas de caixa de ressonância deveria ter contestado a afirmação da ministra. Deveria ter perguntado se há ou não uma relação entre os resultados escolares e, para além da óbvia exigência dos professores, a exigência do sistema educativo, da administração educativa, do quadro legal, dos programas escolares, do contexto sociocultural e do investimento pessoal dos alunos. E em caso afirmativo, qual a magnitude destas variáveis nos resultados escolares.

Esta questão faz-me lembrar uma imagem do bridge utilizada por António Nóvoa, na qual um dos parceiros ocupa o “lugar do morto”, sendo obrigado a expor as suas cartas em cima da mesa: nenhuma jogada pode ser feita sem atender às suas cartas, mas este não pode inferir no desenrolar do jogo.

Adenda: Como era expectável, o ufano dirigente da CONFAP já veio corroborar, testemunhar, os excelentes resultados anunciados por S. Exª, o futuro ex-primeiro-ministro. Seria um erro de palmatória omitir a referência a uma tão nobre e distinta figura do baralho ministerial. E foi isso que fiz… 8)