Há que continuar a assobiar para o ar e fingir que não é nada connosco…

Estados Unidos, Malta e Portugal são os três países de um conjunto de 41 analisados por um estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS) onde as crianças com onze anos revelam maior excesso de peso.

Não vislumbro qualquer intenção do governo em atender às recomendações do Parlamento Europeu. De que me espanto? Afinal, as estatísticas da obesidade não concorrem para o ranking do PISA e as políticas balcanizadas deste governo remetem os problemas de saúde pública para o Ministério da Saúde.
E as recomendações são tão claras que bastava um pouco de vontade política para atacar o problema pelo lado da profilaxia: Como afirma o relator, “Não é tanto o aumento da dose de calorias que provoca o excesso de peso, mas a inactividade física: as crianças não comem mais, mexem-se menos”

Correntes que libertam

Gosto das correntes que libertam. Gosto destes fios que me guiam a recantos blogoEsféricos plenos de sentido. Gosto de dizer: é um blog muito bom sim senhora!

A Fátima André lançou um olhar cúmplice do seu Revisitar a Educação. Eu agradeço a simpatia e junto mais um elo à corrente:
1- Este prémio deve ser atribuído aos blogs que gostamos e visitamos regularmente postando comentários;
2- Ao receber o selo “é um blog bom sim senhora!!” devemos escrever um post incluindo: o nome de quem nos deu o prémio com o respectivo link de acesso + a tag do prémio + a indicação de outros 7 blogs;
3- A tag do prémio deve ser exibida no blog.
Depois de percorrer dezenas de blogs que visito diariamente de forma criteriosa através do meu leitor de RSS (Really Simple Syndication), vacilo como um ponta-de-lança [do glorioso] na hora de atirar para o fundo das redes. Desafio o:

  1. Aragem [Este desafio inclui todos os confrades, naturalmente];
  2. (Re)Flexões [Francisco Santos, é preciso começar a trabalhar os antagonistas ;)];
  3. De cabeça [O Manel foi o primeiro elo da teia];
  4. Anterozóide [Ainda bem que temos o Antero para estimular a veia satírica];
  5. Rudimentos – E agora? [É uma agradável surpresa esta descoberta recente];
  6. As Minhas Leituras [Espero que o José Luiz Sarmento regresse rapidamente à blogosfera];
  7. Ruptura Vizela [O Zé Manel é um velho companheiro de outras lutas].

PS (salvo-seja): E agora tenho de regressar ao Aragem tratar do desafio lançado pela Isabel 🙂

Acção!

No meio desta onda de contestação acabo por perder o fio à meada. É uma nova iniciativa, é um novo(?) grupo de pressão. Paradoxalmente, ou talvez não, à medida que cresce a contestação sinto cada vez mais que o que «faz falta é animar a malta» na escola situada. Vocês sabem do que falo. Se cada um de nós se deixar envolver na escola, mobilizando os colegas para a acção, actuando pró-activamente junto das estruturas de gestão… não é pedir muito, pois não? Quero acreditar que esta tertúlia blogoEsferica reflecte um determinado estilo de viver a escola. Que há dinâmica, que há uma intencionalidade em modificar o modus vivendi instalado e visivelmente rejeitado nos textos que vamos produzindo nos blogues.
Às vezes dou por mim a pensar se não seria mais útil dar mais tempo aos colegas, principalmente àqueles que prefiguram casos perdidos ao nível da acção. Para quem defende que a blogosfera docente é uma sala de professores sem muros, que os blogues são catalisadores de vontades, parecerei contraditório…

Isto vem a propósito de um novo manifesto:
Escola Pública pela Igualdade e Democracia
http://www.petitiononline.com/mudar123/

Optimismo!

Estou esperançado de encontrar, no conjunto dos meus leitores, um director ou um presidente do conselho executivo.

Caro colega, nos próximos meses os professores irão ser desafiados a revelar o melhor do seu profissionalismo pelas razões que todos conhecemos. Atrevo-me a deixar oito orientações (Fullan e Hargreaves, 2001) para trabalhar com os docentes da sua escola. Se é professor, caro leitor, pode aplicar as orientações a si próprio porque a escola deve ser um local aprazível e que propicie formas de aperfeiçoamento:
i) Compreenda a cultura da sua escola;
ii) Valorize os professores: promova o seu crescimento pessoal;
iii) Expanda o que valoriza;
iv) Exprima aquilo que valoriza;
v) Promova a colaboração, não a cooptação;
vi) Prepare listas de opções, não de imposições;
vii) Utilize os meios burocráticos para facilitar, não para constranger;
viii) Ligue-se ao ambiente mais global.

Um bom fim-de-semana!

Desafio II

Em resposta ao desafio do Zé Manel do Blog Ruptura de Vizela (a LN acabou por me deixar uma ponta no conversamos?!), aqui vai:

5ª linha, página 161 do Livro ” A escola pública” de João Barroso.

“…e assim proceder a uma melhor distribuição…”

É uma ironia escrever esta linha no momento em que ouço uma intervenção do Carvalho da Silva no programa do Prós e Prós em que se discute o Trabalho.

Aproveito este trama na blogosfera para lançar uma pont(e)a a um conjunto de colegas que muito estimo e que me têm fustigado pelo simples facto de se manterem em retiro blogoEsférico… 🙂

Isabel
Miguel
Henrique Jorge
Henrique Santos
Manel
Maria Lisboa

Adenda: Regulamento
1. Pegue no livro mais próximo, com mais de 161 páginas – implica aleatoriedade, não tente escolher o livro;
2. Abra o livro na página 161;
3. Na referida página procurar a 5.ª frase completa;
4. Transcreva na íntegra para o seu blogue a frase encontrada;
5. Aumentar, de forma exponencial, a improdutividade, fazendo passar o desafio a mais 5 bloggers à escolha.

Form@ctiva…

Ainda sem saber bem para onde vou, agarrei uma ponta desta teia e deixei-me levar: www.formactiva.org. O objectivo dos autores é criar uma comunidade virtual de formação activa que traga mais valias a todos os seus intervenientes. Ao mesmo tempo contam também reforçar a ideia de que não são necessárias iniciativas governamentais e orçamentos chorudos para criar valor.

Ora nem mais! Sem a muleta do Estado e a incompetência daqueles que o representam…