Sonho para 2013…

Um sonho cego a nada

 

Prometemos

que teríamos em comum

não sermos dois, apenas um

E que as nossas almas nuas

viciadas na bruma

não fossem duas

apenas uma.

 

Prometemos

um sonho para lá do aterro

um sonho sem medo

um sonho semente enraizada

um sonho sem ego

um sonho cego

a nada.

 

Um sonho

um sonho apenas

só um

um sonho sem penas

apenas um

um sonho

realizado por nenhum.

 

Paulo Anes

_____________________

“roubado” aqui

Bom Natal!

Aproveito este espaço para renovar o votos de um Bom Natal para todos os amigos e companheiros de viagem.

A acompanhar os meus votos, junto este poema que roubei à Maria Lisboa no seu cantinho:

tempo de adulto, tempo de criança

Imagem (in: www.fizogg.co.uk/gallery2_22.html)natal

espero que me calhe a fava

que é costume meter no bolo-rei;
quer dizer que o comi, que o partilhei
no natal com quem mais partilhava

numa ordem das coisas cuja lei
dos afectos e memória em nós grava
nalgum lugar da alma e que destrava
tanta coisa sumida que, bem sei,

pela sua presença cristaliza
saudade e alegria em sons e brilhos,
sabores, cores, luzes, estribilhos…
e até por quem nos falta então se irisa

na mais pobre semente a intensa dança
do tempo de adulto e tempo de criança.
Vasco Graça Moura