Classificação de Educação Física na Média do Ens Sec para efeito de Ingresso no Ensino Superior

Boi manda homem para o hospital quando cobria vaca

O sentido de oportunidade terá traído o homem. Certo?

Isto vem a propósito da medida que o MEC está a preparar, que ostraciza a disciplina de Educação Física e relança um velho assunto:

O relatório foi produzido pelo Grupo de Avaliação e Acompanhamento da Implementação da reforma do Ensino Secundário (GAAIRES) 

Cenário A

A classificação da disciplina não é contabilizada no cálculo da média do ensino secundário para efeitos de acesso ao ensino superior.

Argumentos favoráveis

  • Diversidade na oferta efectiva da disciplina nas diferentes vias do ensino secundário;
  • Desigualdades nas condições das instalações, equipamentos e materiais dos estabelecimentos de ensino que oferecem a disciplina;
  • Pressão por parte dos alunos e famílias;
  • Diversidade de opções por parte dos professores, decorrente das modalidades propostas pelo programa em alternativa, por um lado, e condicionadas pelos recursos das escolas, por outro.

Argumentos contrários

  • Atribuição de um estatuto de excepção à disciplina de Educação Física no contexto das demais disciplinas e áreas curriculares;
  • Promoção de atitudes de pouco investimento na disciplina por parte dos alunos;
  • Legitimação do estado de coisas no que diz respeito à desigualdade das condições físicas e materiais dos diferentes estabelecimentos de ensino;
  • Prejuízo dos alunos que investem na disciplina e obtêm classificações elevadas.


Cenário B

A classificação da disciplina é contabilizada na média do ensino secundário para efeitos de acesso ao ensino superior.

Argumentos favoráveis

  • Igualdade de estatuto entre as disciplinas do currículo, designadamente as que integram a componente de formação geral ou equivalente em todas as vias do ensino secundário;
  • Importância da disciplina para o desenvolvimento dos alunos, no desenvolvimento de aptidões, atitudes e valores, proporcionadas pela exploração das suas capacidades mediante actividade física adequada, intensa, saudável, gratificante e culturalmente significante.

Argumentos contrários

  • Diversidade de características biológicas/genéticas dos alunos que se reflecte no seu desempenho;
  • Desigualdades nas condições das instalações, equipamentos e materiais dos estabelecimentos de ensino que oferecem a disciplina;
  • Diversidade na oferta efectiva da disciplina nas diferentes vias do ensino secundário;
  • Pressão por parte dos alunos e famílias;
  • Diversidade de opções por parte dos professores, decorrente das modalidades propostas pelo programa em alternativa, por um lado, e condicionadas pelos recursos das escolas, por outro;

Cenário C

O aluno poderá excluir uma das disciplinas do seu plano curricular, cuja classificação lhe seja menos favorável (podendo esta ser ou não a da disciplina de Educação Física), com excepção das disciplinas que integram a componente de formação específica.

Argumentos favoráveis

  • Maior equidade no acesso ao ensino superior, uma vez que ao aluno seria facultada a possibilidade de prescindir da classificação que mais o prejudicasse;
  • Maior equidade na consideração das disciplinas e do seu valor relativo.

Argumentos contrários

  • Dificuldade de aceitação, por parte de determinados sectores, da possibilidade de não serem consideradas as classificações de disciplinas como Português ou Filosofia, no cálculo da média para efeitos de acesso ao ensino superior;
  • Facilitação de atitudes de desinvestimento, por parte dos alunos, em disciplinas definidas à partida.


Cenário D

O aluno pode decidir se pretende contabilizar a classificação de Educação Física no cálculo da média para efeito de acesso ao ensino superior.

Argumentos favoráveis

  • A decisão cabe ao aluno, permitindo-lhe optar pela situação que mais o beneficie;
  • Promoção da valorização da disciplina por parte dos alunos que nela legitimamente investem ou poderão vir a investir.

Argumentos contrários

  • Iniquidade no acesso entre os alunos cujo plano de estudo inclui a disciplina de Educação Física e os alunos cujo plano de estudo efectivo não inclui a disciplina de Educação Física, por exemplo, alunos das escolas profissionais privadas em que esta não seja oferecida.

6 thoughts on “Classificação de Educação Física na Média do Ens Sec para efeito de Ingresso no Ensino Superior

  1. Bom dia.

    Sou professor de Matemática, no entanto há um argumento, que já ouvi em muitos lados, a falar da diversidade biológica e genética. Pois bem. Claro que essa diversidade existe em áreas de expressão física, tais como existem em áreas de outras expressões ou em áreas do raciocínio lógico e matemático. Estarão os alunos com poucas capacidades nestas últimas áreas permitidos a não ter classificação a Matemática?

    Não concordo em absoluto com a desvalorização de qualquer disciplina. A escola tem que dar resposta a todos os tipos de alunos, e não favorecer uns em detrimento de outros.

    A haver uma solução minimamente aceitável, para mim seria o cenário C, por ser idêntico e justo para todos os alunos.

    Cumprimentos

    Gostar

    1. Concordo plenamente com a não contagem da educação fisica para a média. Já chega de tramar os alunos com avaliação, eles precisam é de desenvolver competências nesta área e não de estarem constantemente a ser avaliados pelo que sabem fazer menos bem.
      Basta de injustiça, esta medida já deveria ter sido tomada à muito tempo e que seja avaliado nesta área só quem quer desporto que é o que faz sentido.

      Gostar

      1. Por favor aprenda a escrever em bom português em vez de perder tempo a falar do que não sabe. “Há “muito tempo e não “á” muito tempo. Boa leitura nas férias

        Gostar

  2. De facto a opção mais justa é claramente a C, dá a todos a mesma oportunidade: excluir a disciplina para a qual tem menos vocação/aptidão.
    Os argumentos que têm surgido em torno deste tema estão muito virados para o umbigo de cada um. Será que um aluno gago tem de ser necessariamente prejudicado a Inglês ou Português, da mesma forma que um aluno com uma deficiência impeditiva da prática de exercício tem de ser prejudicado a EF? Penso que há alternativas a obviar a essa situação e, dessa forma, não se põe em causa o estatuto dos professores de EF, que tal como os oputros também se licenciaram.

    Gostar

  3. Qualquer uma menos o Cenário A! Para isso acabem com a disciplina de uma vez e mandem todos os profissionais que trabalham em função desta disciplina para o desemprego… Pois a partir desse momento, ter ou não ter a disciplina é a mesma coisa. O argumento de que serve para terminar o 12º não vale no pais das equivalências e nas novas oportunidades em que vivemos.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s