Solidário…

Aproveito para manifestar aqui a minha solidariedade ao Paulo Guinote no processo que lhe foi movido pelo jornalista Paulo Chitas. Não o faço por algum sentido corporativo, embora não fosse completamente descabido face ao ostracismo a que fomos votados por uma certa comunicação social amiga dos governos de circunstância.

Faço-o porque a liberdade de expressão deve ser biunívoca e não é seguramente um feudo exclusivo de uma classe profissional.

As dissonâncias intermitentes com o Paulo são irrelevantes quando valores mais altos se levantam.