O que é uma greve de zelo?

O Ramiro prevê “que os professores, os médicos, os magistrados, os juízes e os técnicos da administração pública vão ser os únicos a sofrer novo corte nos salários sob a forma de retenção dos subsídios de férias e de Natal sem prazo para devolução.”

Também considero vergonhoso e lamentável que sejam sempre os mesmos a suportar os erros alheios, erros de quem nos desgoverna.

Como resistir a esta ofensiva?

O Ramiro observa que “a continuarmos nesta via, os professores e restantes funcionários públicos abrangidos pelo novo corte ver-se-ão obrigados, em breve, a fazerem greve de zelo por tempo indeterminado.”

Greve de zelo?!

Ainda não percebi o conceito aplicado à função docente. Mas soa-me bem. Resistir pela via da greve também me parece bem. O problema é que a greve ainda é considerada por muito boa gente como coisa do passado, retro. Mesmo que se aclarasse o conceito de zelo aplicado à nossa função, havia que superar o “velho” preconceito.