Presente!

O Luís está coberto de razão: a chave disto tudo é a união. Ninguém pode ficar fora deste combate: Por uma questão de sobrevivência profissional (e só os mais distraídos ousarão pensar que não é nada com eles, que é apenas uma ataque cirúrgico a um ou dois grupos disciplinares) e por uma questão de decência profissional (é obscena a resignação dos professores face ao ataque à Escola Pública).

Já o escrevi noutras ocasiões, quando o ataque ainda era uma espécie de ataque, que é tempo perdido lamber as feridas provocadas pelos desacatos no interior da barricada enquanto o governo insistir nas políticas de terra queimada.

Nem sempre o óbvio é mais fácil de discernir. É preciso despir o olhar de (pre)juízos para corrigir a percepção da realidade. O Luís salientou o óbvio. Eu sugiro que liguemos o “fio terra” para que os desenganos não nos queimem as mãos.

Na escola situada, como sempre, ou na rua, estarei presente!