Um roteiro de luta individual

Sem alinhamentos programados, sem uma agenda partilhada, como ordenar posições para esvaziar este famigerado modelo de avaliação?

Concordo com o Paulo: “Era difícil, se considerarmos os colegas contratados e os que necessitam de observação de aulas para a progressão (vai ser mais regressão, mas enfim)”

É verdade que há casos de traição por parceiros de ocasião. É verdade que a luta desordenada estará condenada ao insucesso porque produzirá um desfecho inócuo. Para contentamento dos snipers da luta, basta o feito individual. Culparam-se os sindicatos pela acção, agora culpam-se agora os sindicatos pela inacção.

É tempo de balanço de uma espécie de plano individual de luta com um roteiro que devia ser coerente: da nomeação de relator ao pedido de aulas observadas; do requerimento para a escusa de relator ao deferimento da escusa de relator; do requerimento para esclarecimento do algoritmo da ADD ao requerimento da anulação do pedido de aulas observadas.

Urge acabar com a farsa!…