A IGE, o X Congresso da Fenprof, e Abril ainda por fazer.

José Calçada, presidente do Sindicato dos Inspectores da Educação e do Ensino, fez uma intervenção no X Congresso da Fenprof que é, a meu ver, politicamente significativa. Além de tentar conceptualizar o papel da Inspecção, enfatizando a sua função na promoção da qualidade das aprendizagens e do ensino, alertou para o perigo da instrumentalização e governamentalização da IGE, perigo que é mais real do que um simples exercício de retórica possa fazer crer, e que já motivou, num passado muito recente, uma Carta Aberta do SIEE.

José Calçada levanta três simples questões, cujas respostas serão irritantemente óbvias, que nos permitem aclarar o lado mais obscuro das lógicas que subjazem às políticas educativas deste governo.

Por que razão a IGE foi afastada das actividades de enriquecimento curricular?

Por que razão a IGE foi afastada do Ensino Especial?

Por que razão a IGE foi afastada das Novas Oportunidades?

Abril

Abril de sim, Abril de Não
Manuel Alegre

in: National GeographicEu vi Abril por fora e Abril por dentro
vi o Abril que foi e Abril de agora
eu vi Abril em festa e Abril lamento
Abril como quem ri como quem chora.
Eu vi chorar Abril e Abril partir
vi o Abril de sim e Abril de não
Abril que já não é Abril por vir
e como tudo o mais contradição.
Vi o Abril que ganha e Abril que perde
Abril que foi Abril e o que não foi
eu vi Abril de ser e de não ser.
Abril de Abril vestido (Abril tão verde)
Abril de Abril despido (Abril que dói)
Abril já feito. E ainda por fazer.