Um mal menor ou a vitória possível?

 Será que estou a ver mal o problema? É que o voto útil, cirúrgico, dos professores fez toda a diferença. Mas para lá das leituras que serão feitas pelos analistas importa perceber, para os professores é uma questão essencial porque se trata de aferir a credibilidade dos partidos da oposição, se há condições, face ao quadro parlamentar, para fazer retroceder as medidas impostas por MLRodrigues.

Ouvi com muita satisfação FLouçã evocar a luta dos professores e as suas causas. Para fazer recuar o novo governo é necessário um acordo da oposição, reafirmando o que fora prometido na campanaha eleitoral. Aguardarei pelas declarações de PPortas para ver se é capaz de ser tão explícito neste tema como o foi FLouçã. Mantenho um receio: que os arranjos socratinos com o PSD remetam a educação para o lugar do morto. MFLeite é bem capaz de “trocar” a questão educativa por outra questão mais conveniente para o PSD. Veremos…

Adenda: Não ouvi o discurso do PPortas até ao fim. Ajudem-me: o homem não aflorou a questão da educação no seu discurso de vitória. Terá sido uma amnésia “orgasmica”? Não se quis comprometer com os tais arranjos a que fiz referência atrás? Ou as declarações foram proferidas em off?