O trunfo da ministra.

Mas será a medida anunciada [a melhoria dos resultados escolares dos alunos] motivada pela baixa de exigência das escolas?

Eu espero que os professores não tenham diminuído a exigência porque isso pode virar-se contra eles próprios. Não acredito que os professores e as escolas tenham diminuído a exigência. (Maria de Lurdes Rodrigues)

jokerNote-se como a exigência associada aos resultados escolares dos alunos é, para a ministra da educação, um conceito unilateral. Se o jornalista não se limitasse a servir apenas de caixa de ressonância deveria ter contestado a afirmação da ministra. Deveria ter perguntado se há ou não uma relação entre os resultados escolares e, para além da óbvia exigência dos professores, a exigência do sistema educativo, da administração educativa, do quadro legal, dos programas escolares, do contexto sociocultural e do investimento pessoal dos alunos. E em caso afirmativo, qual a magnitude destas variáveis nos resultados escolares.

Esta questão faz-me lembrar uma imagem do bridge utilizada por António Nóvoa, na qual um dos parceiros ocupa o “lugar do morto”, sendo obrigado a expor as suas cartas em cima da mesa: nenhuma jogada pode ser feita sem atender às suas cartas, mas este não pode inferir no desenrolar do jogo.

Adenda: Como era expectável, o ufano dirigente da CONFAP já veio corroborar, testemunhar, os excelentes resultados anunciados por S. Exª, o futuro ex-primeiro-ministro. Seria um erro de palmatória omitir a referência a uma tão nobre e distinta figura do baralho ministerial. E foi isso que fiz… 8)