Usar a estratégia e a táctica política para garantir a sobrevivência profissional.

Quando afirmo que o problema dos professores é político quero dizer, também, que é necessário recorrer ao léxico político para recuperar os vocábulos: táctica e estratégia.
Numa luta política, tal como numa competição desportiva, é necessário ter uma estratégia de jogo bem definida, tendo em conta as singularidades da própria equipa e o potencial da equipa adversária, e recorrer a uma táctica ou um conjunto de tácticas que permitam capitalizar ganhos e minorar as perdas.

Isto vem a propósito de comentários menos abonatórios sobre a assinatura do Memorando de Entendimento pela Plataforma Sindical. Neste momento, ainda há colegas que crêem que a não assinatura do Memorando traduzir-se-ia numa vitória estrondosa dos professores, por KO. Quem insiste nesta ideia, apesar de se saber que a Plataforma não ficou manietada pelo facto de ter assinado o documento, não só pelas condições que impôs no próprio documento como pelas posições de princípio que quis salvaguardar, quem insiste nesta ideia repito, é porque pensa que este assunto é apenas uma questão do uso desta ou daquela técnica ou, mais grave ainda, que ignore que o árbitro é, também, jogador.
Ora, se jogamos contra um adversário que arbitra o próprio jogo, será necessária uma estratégia ainda mais elaborada e uma táctica ainda mais meticulosa.

Admitamos a possibilidade de a Plataforma sindical não ter encontrado a melhor estratégia num dado momento. Admitamos que uma avaliação futura permitirá concluir que nem sempre se usaram as melhores acções tácticas para resolver diversas situações de jogo. Não virá o mal ao mundo por isso. E não vem o mal ao mundo por isso porque neste jogo interminável, os sindicatos não esquecerão um aspecto crucial: a volatilidade das circunstâncias que determinam as condições de realização destes jogos requer uma boa plasticidade para evitar contragolpes que poderão ser fatais. Se assim não fosse, se essa característica já tivesse desaparecido do movimento sindical, o jogo da sobrevivência profissional já teria acabado.

E por falar em estratégia e táctica, estarei atento, amanhã, à conferência de imprensa onde a Plataforma Sindical dos Professores apresenta publicamente exigência de suspensão do processo de avaliação em curso.