ECD: (Re)acção de luta – Equívoco 1

O Ramiro relançou o debate sobre a avaliação do desempenho docente. Justifica esta sua (re)acção pela necessidade de “criar argumentos racionais, rigorosos e coerentes para que os professores possam justificar a luta pelas alterações ao ECD e ao modelo de avaliação burocrática de desempenho.”

Sendo louvável o esforço (de demonstrar a incoerência das políticas educativas deste governo) ele será inócuo porque assenta no pressuposto de que este governo é sensível ao argumento científico ou ao argumento do bom senso e da prática vivida.

Já se percebeu que os ventos da racionalidade económica determinam o sentido das políticas sociais. Mais urgente do que procurar argumentos é preciso procurar aliados. Há que pensar hereticamente, como diria Apple. Há que procurar alianças tácticas onde elas forem possíveis e onde elas implicarem benefício mútuo – desde que essas alianças não ponham em risco as crenças e valores humanistas.

4 thoughts on “ECD: (Re)acção de luta – Equívoco 1

  1. Discordo da posição do Miguel, nesta matéria, justamente porque o que o professorado não teve e não tem são “aliados”, com raríssimas e pontuais excepções. Também ,sejamos claros, tem existido uma falta de “argumentos racionais, rigorosos e coerentes para que os professores possam justificar a luta pelas alterações ao ECD e ao modelo de avaliação burocrática de desempenho”.

    Repare que um dos argumentos deste ME , que passou para a população, era a de que os professores não queriam era ser avaliados. Todos o sabemos que é uma mentira fraudulenta e quais são os intuitos preversos que a justificam.

    Contudo, os sindicalistas foram totalmente incapazes de desmontar essa mentira que condiciona quase tudo, quer em termos da comunicação social, quer informando os próprios professores.

    Coloquei no blog do fjsantos, 3 comentários num seu post, que me parecem ser argumentos de peso para os professores puderem esgrimir. Para não me estar a repetir ,creio que não se importará, que coloque o ite

    http://fjsantos.wordpress.com/2008/08/17/reflectindo-sobre-as-bases-para-uma-avaliacao-de-desempenho-dos-professores-iii/

    Gostar

  2. É um errado dizer que o professorado nunca teve aliados: o PC e o BE (para o bem e para o mal) têm dado voz à voz dos professores, não sendo despiciente o facto desse apoio advir dos partidos de oposição que viveram sempre fora da acção governativa. Há que alargar o conceito de aliado a qualquer organização que possa influir o curso da decisão política. Venha essa ajuda de onde vier, é necessário introduzir no senso comum uma imagem positiva do professorado. É evidente que a comunicação social tem um papel determinante neste desiderato. É preciso, no entanto, ir mais além. Há que descobrir quem e onde faz a decisão política. Seria uma ideia romântica pensar que essa decisão se faz nos gabinetes governativos…

    A Ana crê que foi a força da argumentação do ME a pedra de toque que terá aberto o caminho às políticas lesivas dos interesses dos professores. Se o problema se resolvesse com os argumentos, o elevado consenso na comunicação social e, quero crer, na população em geral acerca da iniquidade das políticas deste governo já teriam obrigado o governo a inflectir.

    Gostar

  3. Olá, Miguel!
    Obrigado pela referência ao debate que tenho procurado criar no blog ProfAvaliação. O meu receio é que os sindicatos fiquem à espera do final do ano lectivo para apresentarem propostas concretas de alteração ao Decreto-Lei 15/2007, a mãe de todas as injustiças, desigualdades e humilhações. É por isso que vou continuar a dedicar tempo, energia e espaço à procura de argumentos racionais que justifiquem as alterações ao articulado do novo ECD. Tenho desafiado outros blogs -sem grande resultado – a associarem-se a mim na criação desse debate.

    Gostar

  4. Miguel estou em desacordo consigo. E passo a explicar. O PCP apoia estas políticas, não porque de todo as subscreva, mas porque em termos de ideário mantem que é através das “massas descontentes que será implementada a ditadura do proletariado”. Conheço muito bem as “cartas mentais” dos membros do PCP, da forma de funcionamento e organização. São aliados táticos destas políticas. Se dúvidas existissem basta pensar que desde início da legislatura que a voz no Parlamento que denunciava o ataque aos professores e à Educação era a Luísa Mesquita. Foi simplesmente convidada a sair da bancada parlamentar pela direcção do Partido. Estava a ter posições incómodas para a estratégia política do Partido.
    Um aliado de peso, por tática política, do desgoverno de Sócrates tem sido o PCP. Aliás, o “Entendimento” foi a manifestação desse entendimento tático de mútuos benefícios. O Mário Nogueira sempre foi um feroz defensor “das iniquidades do anterior estatuto de carreira” e de que os professores do Ensino Superior estavam muito prejudicados, em termos remunerativos, em relação aos do Básico e Secundário. Etc.
    Aliás, durante dois anos e tal, a Fenprof esteve simplesmente apostada em aniquilar os sindicatos que assinaram com o anterior governo do PS o ECD agora revogado. Tente esclarecer-se.

    Quanto ao BE nem me pronuncio. Só nos tempos recentes, com a Ana Drago, pegaram no assunto. Deixaram passar tudo, sem uma única intervenção pública em defesa da Educação e dos Professores. Nada. Na agenda política só existiam desmpregados.

    Relativamente aos professores estarem conscientes do que realmente se passa, não é verdade.
    Sem Ordem, sem Sindicatos e com uma campanha de marketing e publicidade desta dimensão, restou a informação que se foi obtendo via informal. Mails, blogues, SMS, conversa a conversa, e pouco mais.

    Informação é poder. Desmontar a pulhice com os professores a estarem informados ,com os tais argumentos a que se refere o Ramiro, é meio caminho para inverter a situação.
    Temos que começar a meter golos. Isto é, de facto, uma guerra ideológica. E, creio, que os aliados dos professores são os democratas portugueses.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s