O que importa esconder do exemplo finlandês II

ADEBC CANCELA TORNEIO DE ENCERRAMENTO DE BADMINTON

[…]

Apesar de tanto ruído o meu objectivo é chamar a atenção para a falta de apoio que as escolas têm sentido ao longo deste ano lectivo para levar a cabo os seus projectos de Desporto Escolar. Com efeito estamos em pleno 3º período e as escolas da Coordenação Educativa de Coimbra (desconheço o que sucede nas outras Coordenações Educativas) não receberam qualquer verba do ME / Gabinete de Desporto Escolar. Logicamente muitas escolas têm dívidas de centenas ou até milhares de euros e já não autorizam mais despesas para as actividades previstas. No início deste ano constituímos uma Associação Desportiva Escolar pois entre algumas vantagens tínhamos a expectativa de podermos organizar mais actividades e logicamente aguardávamos uma verba em concordância com o nosso projecto. Na página seis do Programa do Desporto Escolar 2007 / 2009 podemos ler: “Desde o ano lectivo 2006/07 as ADE têm prioridade nas candidaturas à Medida 2 do Programa de Desporto Escolar (Organização de Quadros Competitivos inter-escolas). “. Puro engano !
Afinal o que se passa com as verbas que suportam o programa do Desporto Escolar?

Assim, com muita pena nossa, pois os principais prejudicados são os alunos, a ADEBC (Associação Desportiva Escolar Badminton de Coimbra) anuncia o CANCELAMENTO DO TORNEIO DE ENCERRAMENTO DE BADMINTON PREVISTO PARA 17 DE MAIO porque o ME / Gabinete de Desporto Escolar não cumpre as suas obrigações para com as escolas. Não podemos continuar a fazer de conta que o Programa do Desporto Escolar está a ser implementado normalmente em consonância com as belas intenções de quem legisla. Lembram-se daquilo que 100 mil conseguiram quando saíram à rua?

22 Abril 2008
Fernando Costa
Professor Ed. Física na ES D. Duarte / Coimbra”

Comentário: A escola ficcionada pelo ME e propagandeada na comunicação social, com arranjos coreográficos de alunos recrutados nas agências de actores, contrasta com a escola situada. Estamos precisados de uma imprensa que não se limite a fazer de caixa-de-ressonância oficial. Urge investigar o funcionamento das AEC´s e do DE.