Faz-de-conta que apreciamos o mérito…

Ministério vai abrir concurso extraordinário para titulares.

Se a própria ministra reconheceu, no programa Prós e Contras, que o 1º concurso de professores titulares não aferiu o mérito porque não houve avaliação, então por que razão insistir num novo concurso, igualmente iníquo, para repescar os professores do 10º escalão não seleccionados no 1º concurso?

É evidente que o ME não pretende avaliar a competência dos avaliadores nem aferir a qualidade de coisa alguma. Importa unicamente resolver o problema da falta de avaliadores a custo zero. Não é estranho que o ME, um verdadeiro arauto da meritocracia, relegue a avaliação para um plano secundário quando se trata de cortar nos custos?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s