Optimismo!

Estou esperançado de encontrar, no conjunto dos meus leitores, um director ou um presidente do conselho executivo.

Caro colega, nos próximos meses os professores irão ser desafiados a revelar o melhor do seu profissionalismo pelas razões que todos conhecemos. Atrevo-me a deixar oito orientações (Fullan e Hargreaves, 2001) para trabalhar com os docentes da sua escola. Se é professor, caro leitor, pode aplicar as orientações a si próprio porque a escola deve ser um local aprazível e que propicie formas de aperfeiçoamento:
i) Compreenda a cultura da sua escola;
ii) Valorize os professores: promova o seu crescimento pessoal;
iii) Expanda o que valoriza;
iv) Exprima aquilo que valoriza;
v) Promova a colaboração, não a cooptação;
vi) Prepare listas de opções, não de imposições;
vii) Utilize os meios burocráticos para facilitar, não para constranger;
viii) Ligue-se ao ambiente mais global.

Um bom fim-de-semana!

O mísero oásis!

Reli o Regime Jurídico […] de Gestão Escolar com a esperança de encontrar um artigo que merecesse o meu aplauso. Exceptuando, por motivos óbvios, a retórica preambular e os princípios gerais, bastava-me um ponto ou uma alínea para exaltar a prestação do legislador.
Bingo: a limitação de mandatos foi a medida mais acertada que encontrei no documento. Mesmo que venha a ocorrer, como é muito provável que suceda, uma dança de cadeiras entre o Director e um dos seus adjuntos, mesmo que esse baile se realize apenas no final do 3º mandato, é fundamental que o Director não se esqueça do “cheiro da sala de aulas”.