É ruído ou ignorância?

A ministra afirmou na Grande Entrevista, de forma peremptória, que é necessário “desconectar o castigo da avaliação”.

  • Posso depreender que a ministra defende uma avaliação unilateral reduzida à avaliação sumativa e certificadora?
  • Posso deduzir que a avaliação formativa não se deve reflectir na avaliação sumativa dos alunos? Ou melhor, a avaliação sumativa não reflecte o desenvolvimento de competências meta-cognitivas e o desenvolvimento das competências de auto-avaliação e de auto-controlo?
  • Que concepção de avaliação defende a senhora ministra?