"Ranking" II

Como é cada vez mais difícil concordar com o que escreve o Vital Moreira, hoje dedico-lhe este destaque:

“O problema com os “rankings” escolares é que provavelmente as melhores escolas são feitas pelos melhores alunos, ou seja, os oriundos das elites sociais, com melhores condições de sucesso escolar, e que, muitas vezes, ainda seleccionam os seus alunos. A correlação inversa, entre as escolas menos bem classificadas e a origem social menos favorável dos alunos, também é em geral verdadeira. A escola que ficou mais bem classificada seguramente ficaria longe dos primeiros lugares, se tivesse os alunos da pior; e a escola com piores resultados daria uma grande salto na classificação, se tivesse os alunos da melhor.
Como habitualmente sucede, os comentadores puseram em relevo o domínio das escolas privadas no “top ten”; deveriam também assinalar a larga representação de escolas privadas entre as piores. Ao contrário do que pretendeu insinuar, não existe uma equação biunívoca entre escola de qualidade e escola privada.”

Alienação…

A TSF enfatizava, nas notícias desta manhã, um pseudo ranking de escolas. Ouvi uma repórter que entrevistava, com alguma solenidade, a directora da “melhor escola” eleita pela rádio. Não faltaram as receitas para o sucesso. Da “pior escola” não ouvi uma palavra dos seus responsáveis. Dizia a repórter que esta escola só apresentara um aluno a exame. Farto-me de rir com o anedotário educativo…

hummm… estou preocupado com a discriminação das escolas que investiram tudo nos CEF’s e Cursos Profissionais.