:(

Agradeço à Sra. Ministra da Educação. Não fora a sua excelente política e a consequente intensificação do meu trabalho, como seria possível executar com tamanha e visível mestria aquela tarefa fundamental da profissão Professor: realizar actas?

É verdade que enquanto realizo estas tarefas relevantíssimas, fico com menos tempo para pensar, criticar e intervir na vida cívica e familiar…

A estupidificação do meu trabalho é osmótica.

Às 3 tabelas…

“Portugal é o único país onde a lei prevê a certificação prévia dos manuais, antes das opções dos professores. Por um lado, “é o total isolamento” relativamente aos outros estados. Só a Noruega e a Espanha tiveram sistemas de certificação que foram abandonados. Por outro, com esta decisão “constata-se que há uma falta objectiva de confiança na idoneidade das competências dos professores na análise e avaliação dos manuais”, refere o ORE [Observatório de Recursos Educativos].” (Público, 11/10/07)

É preciso perceber o contexto em que surge a medida de certificação prévia dos manuais. É preciso relembrar que esta medida surge num momento em que urgia impor um estatuto da carreira docente que se repercutisse na diminuição da despesa com o pessoal docente.
O primeiro-ministro explica hoje, no parlamento, a verdadeira motivação das políticas, educativas, sociais, da saúde, …: a redução do défice.
Se o único objectivo e a grande bandeira deste governo é reduzir o défice, não sejam exigentes, por favor, nos objectivos morais!