Eu(s)…

Brevemente vou poder rever e abraçar uma grande parte dos colegas de curso. É a primeira iniciativa do género desde que agarrámos nas malas e regressámos à província. Esta caricatura não traduz exactamente o que se passou na realidade, porque alguns acabaram por se instalar na urbe, com ou sem família constituída, enquanto que outros nunca de lá saíram. Enfim, esta ideia de regressar à província é engraçada, mas tem tanto de idílico como de elitista… mas avancemos porque não quero evocar nenhum quadro do António Barreto.

Estes encontros são oportunidades para reavivar sentimentos de alegria e de solidariedade. Sob o ponto de vista pessoal, estes encontros permitem recuperar um EU algo… errante. Sob o ponto de vista profissional, estes encontros permitem regenerar expectativas, recuperar utopias, avaliar planos formacionais…

Pode ser um tempo para reflectir sobre os efeitos da socialização profissional. Pode ser um tempo para debater o estatuto social e profissional. Pode ser um tempo para relançar projectos de participação cívica…
Ou não!