Contra-a-maré…

A “administrativite” é uma doença que merece outros olhares. É uma doença profissional que emerge da reconfiguração da função docente e está intimamente associada à degradação das condições da actividade docente. Não se confundindo com polivalência funcional, a “administrativite” exalta, indevidamente, a função de administração e gestão que integra o perfil ocupacional do professor.

Esta semana desempenhei actividades docentes, actividades lectivas conjunturais (actividades de projecto), actividades extra lectivas estruturais (clube escolar), actividades extra lectivas conjunturais (iniciativa assumidas pelos alunos do ensino secundário de âmbito extracurricular), actividades interactivas (actividades que implicam o relacionamento das actividades lectivas com as extra lectivas), actividades de gestão pedagógica (gestão de conflitos), actividades de administração (exacerbadas pela direcção de um curso), actividades de acompanhamento (alunos candidatos ao ES com necessidade de realizar pré-requisitos de acesso), actividades de manutenção de instalações e equipamentos (enquadradas na actividade de estágio dos alunos do tecnológico), actividade de investigação educacional (para responder às solicitações dos alunos), actividades de relacionamento exterior (com as entidades de estágio).
Das actividades realizadas nenhuma pode ser rotulada com um qualificativo de excepcional. Refiro-me apenas a um leque de actividades ordinárias que reflecte o carácter polifuncional da actividade docente. Não reclamo a redução do perfil ocupacional do professor porque, a meu ver, empobreceria uma função que é, pela sua natureza, complexa. O que importa reclamar é a atribuição de meios para viabilizar o cumprimento da função. Não defendo o esvaziamento da função docente de actividades aparentemente secundárias. Defendo a presença de técnicos administrativos nos departamentos curriculares e nos grupos disciplinares por considerar que é uma solução exequível e que minorará os efeitos da intensificação do trabalho docente.

Isto a propósito da carreira e da carreirinha, dos titulares e dos professores…