Pressão local, controlo estatal…

Este vírus provoca uma espécie de estado de embriaguez. Até as notícias ficam suspensas durante dias sem fazer mossa. Será a profilaxia que procurava para lidar com a entropia do sistema educativo?…
Hoje, não sei por quê, fui lembrar-me da notícia que dava conta do avanço dos 14 municípios do Grande Porto que disseram à ministra da Educação que aceitam alargar a todo o ensino básico as competências que já têm no primeiro ciclo. Parece-me claro que este recuo do Estado central não é ingénuo nem um sinal de enfraquecimento do uso de estratégias de regulação centradas na produção normativa e no controlo de procedimentos nas escolas. A ideia é forçar os actores locais na gestão dos fluxos escolares e abrir caminho à regulação das escolas por via dos resultados escolares. É de uma lógica mercantil que se trata…