Paradoxos de uma ideologia taylorista…

Os discursos sobre a educação e, em especial, o glossário educativo, têm sido contaminados por uma visão excessivamente tecnocrata. Sem me perder nas causas desta deriva, noto com maior nitidez uma alteração de fundo num dos paradigmas de escola: O primado do pedagógico parece ter sucumbido, irremediavelmente, ao administrativo. E esta mudança acaba por ter reflexos na problemática da inovação no sistema educativo e, em especial, na configuração do trabalho do professor. A proletarização do professor é cada vez mais uma realidade, restando pouco espaço para a inovação. E não existindo inovação como é que se lida com a inevitabilidade do envelhecimento do saber?