[Des]Qualificação

O Guia de Orientações dos Cursos Tecnológicos propõe este conjunto de parâmetros de avaliação para os alunos estagiários:

  • INTEGRAÇÃO NA ENTIDADE DE ESTÁGIO
  • APREENSÃO DOS CONHECIMENTOS
  • APRENDIZAGEM DE NOVOS CONHECIMENTOS
  • INTERESSE PELO TRABALHO QUE REALIZA
  • RAPIDEZ NA EXECUÇÃO DO RABALHO
  • QUALIDADE DO TRABALHO REALIZADO
  • SENTIDO DE RESPONSABILIDADE
  • AUTONOMIA NO EXERCÍCIO DAS SUAS FUNÇÕES
  • FACILIDADE DE ADAPTAÇÃO A NOVAS TAREFAS
  • RELACIONAMENTO COM A CHEFIA
  • RELACIONAMENTO COM OS COLEGAS
  • RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES
  • ASSIDUIDADE E PONTUALIDADE
  • CAPACIDADE DE INICIATIVA
  • ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
  • APLICAÇÃO DE NORMAS DE SEGURANÇA E
  • HIGIENE NO TRABALHO

Dos parâmetros sugeridos pela tutela, noto que as questões da formação profissional não dispensam o sentido educativo. A autonomia, o relacionamento, a iniciativa, a assiduidade e pontualidade, a integração no contexto, enfim, aspectos de natureza sócio-afectiva que dão esse sentido educativo à formação. Só não percebo a razão dos discursos oficiais que insistem em diluir as questões da educação ao problema do desenvolvimento de competências. Não percebo como é que o discurso da qualificação dos alunos possa ser reduzido ao problema da formação profissional.