Associação Portuguesa de Doentes com Fibromialgia

Respondo prontamente ao apelo da Teresa… há que divulgar este post!

“09 Novembro 2006

Atendendo a que está a ser cada vez maior o número de Doentes que são remetidos pelas Juntas Médicas a que são sujeitos para retomarem a sua actividade laboral em estado deplorável de incapacidade e atendendo também que quase nunca essa actividade coincide com as possibilidades físicas de um Doente Fibromiálgico, está a ser maior o número dos casos em que os mesmos não conseguem prosseguir essa actividade, vendo-se obrigados a desistir, sem qualquer subsistência económica ou qualquer tipo de apoio social.
São já inúmeros os casos de Doentes que sobrevivem à custa da caridade de familiares e amigos, sob um clima de elevada frustração e vergonha, para quem tanto trabalhou durante tantos anos para todos os outros, esquecendo-se de defender a sua própria saúde, (característica desta patologia) e vendo-se sujeito, depois de tantos anos de trabalho e descontos para o Estado, a pedir esmolas a quem não tem o dever de as sobrecarregar.
Até quando esta vergonha???
Acaba de acontecer um caso grave que a APDF não poderá calar nem deixar impune! Mobilizaremos todos os nossos esforços para que os responsáveis assumam a responsabilidade do que acaba de acontecer!
Um nosso Sócio, funcionário da construção civil e Doente Fibromiálgico há muitos anos, acaba de ser apresentado a uma junta médica, já como recurso. Foi OBRIGADO a apresentar-se ao serviço no dia seguinte!
1º dia de trabalho: Desmaiou ao fim de duas horas; 2º dia de trabalho: com muito custo, aguentou até duas horas antes do términus do dia, tendo já, com a autorização e compreensão da entidade patronal (o que nem sempre acontece); 3º Dia de trabalho: mal se mantendo em pé, teve uma vez mais a compreensão da entidade patronal, fazendo o seu máximo e o seu melhor; 4º dia de trabalho: logo na primeira hora da manhã de trabalho, ficou com o braço esquerdo preso numa máquina, tendo ficado sem a totalidade do seu dedo polegar, uma fractura do indicador e uma atrofia muscular em todo o braço. Para a melhoria desta atrofia, seria necessária uma fisioterapia adequada, para a qual está a ser extremamente difícil porque colide com as dificuldades da Fibromialgia, provocando dores insuportáveis no Doente.
…”

Quem quiser ler alguns testemunhos de doentes com fibromialgia, veja aqui. Será mais fácil entender o sofrimento que se pode ter.

  • Porque a fibromialgia é uma doença reconhecida há poucos anos;
  • Porque ainda há médicos que não dão importância à doença;
  • Porque é preciso lutar contra situações como as referidas no artigo da APDF;
  • Porque é preciso informar as pessoas e dar a conhecer a doença.